Coisas descobertas por acidente!

Olá a todos,

Neste post irei escrever sobre algumas coisas que foram descobertas por puro acidente!

1 – Corn Flakes

O corn flakes saiu da massa de trigo embolorada

Em 1894, o médico John Harvey Kellogg era superintendente do Battle Creek, hospital para tratamento de doenças crônicas em Michigan. Ele e seu irmão, Will Keith Kellogg, eram adventistas do sétimo dia e estavam procurando alimentos saudáveis e que também respeitassem a rígida dieta vegetariana dos adventistas para dar aos pacientes. Ao preparar a massa de trigo para fazer granola, Will deixou um pouco dela descansando, e quando voltou, estava ressecada. Em vez de jogá-la fora, os irmãos a passaram pelos cilindros para afiná-la, esperando fazer longas folhas de massa de pão. Conseguiram flocos. Eles assaram os flocos, que se tornaram um grande hit entre os pacientes, e patentearam sob o nome de Granose. Os irmãos experimentaram fazer os flocos com vários grãos, inclusive milho, e em 1906, Will criou a empresa Kellogg’s para vender os corn flakes (flocos de milho). A princípio, John se recusou a juntar-se à empresa porque Will reduziu os benefícios do cereal à saúde ao adicionar açúcar à massa.

 

2 – Silly Putty

Ela salta, estica, quebra – é a Silly Putty, uma argila plástica baseada em silicone comercializada como um brinquedo de criança pela Binney & Smith Inc.. Durante a Segunda Guerra, enquanto tentava criar um substituto sintético para a borracha, James Wright pingou algumas gotas de ácido bórico em óleo de silicone. O resultado foi uma substância plástica melequenta como a Geleca que saltava. Mas Wright levou anos para encontrar um uso comercial para o produto. Finalmente em 1950, o especialista em marketing Peter Hodgson viu seu potencial como brinquedo, renomeou-a Silly Putty e deu à luz um brinquedo clássico (veja no vídeo abaixo o primeiro comercial da Silly Putty). Não apenas a Silly Putty é divertida, como também tem usos práticos – pega sujeira, fios e pêlo de cães e gatos; pode estabilizar móveis instáveis; e é útil na redução de estresse, na terapia física, e em simulações médicas e científicas. A Silly Putty já foi usada até pela tripulação da Apollo 8 para segurar ferramentas na gravidade zero.

3 – Forno de microondas

O forno de microondas é um eletrodoméstico padrão na maioria dos lares do mundo, mas ele está aí desde os anos 40. Em 1945, Percy Spencer estava experimentanto um novo tubo de aspirador chamado magnetron enquanto trabalhava para a Raytheon Corporation. Ele ficou intrigado quando uma barra de chocolate em seu bolso começou a derreter, e resolveu fazer a experiência com milho de pipoca. Quando ele começou a estourar, Spencer imediatamente viu o potencial desse processo revolucionário. Em 1947, a Raytheon fez o seu primeiro forno de microondas, o Radarange, que pesava 340,19 kg, tinha 1,68 m de altura e custava cerca de US$ 5 mil. Quando o Radarange foi disponibilizado para uso doméstico pela primeira vez, no começo dos anos, 50, seu tamanho gigantesco e seu preço caríssimo o tornaram impopular entre os consumidores. Mas em 1967, uma versão pequena, muito mais popular, foi lançada a US$ 495.

 

4 – Notas de Post-it

Os post-it foram criador por um cantor de coral

Uma nota de Post-it -ou simplesmente Post-it – é um pequeno pedaço de papel com uma tira adesiva de baixa aderência na parte de trás que permite que ela seja temporariamente colada em documentos, paredes, monitores de computadores, e qualquer outra superfície. A ideia do Post-it foi concebida em 1974 por Arthur Fry como uma forma de segurar marcadores em seu livro de hinos enquanto estivesse cantando no coral da igreja. Ele sabia de um adesivo acidentalmente desenvolvido em 1968 pelo funcionário da 3M Spence Silver.  Não havia nenhuma aplicação aparente para a cola leve de Silver até a ideia de Fry. A 3M foi cética no começo sobre a lucratividade do produto, mas em 1980, o Post-it foi lançado mundialmente. Hoje, as notas de Post-it são vendidas em mais de 100 países e têm até versões eletrônicas, que são usadas como lembretes para usuários de computadores esquecidinhos.

5 – Sacarina

A sacarina, o adoçante artificial mais antigo, foi descoberto acidentalmente em 1879 pelo pesquisador Constantine Fahlberg, que trabalhava na Universidade Johns Hopkins, no laboratório do professor Ira Remsen. A descoberta de Fahlberg veio depois que ele esqueceu de lavar suas mãos antes do almoço. Ele tinha espirrado uma substância nas mãos e ela adoçou o gosto do pão que ele comeu no almoço. Em 1880, os dois cientistas publicaram a descoberta, mas em 1884, Fahlberg conseguiu a patente e começou a produção em massa da sacarina sem Remsen. O uso da sacarina não se espalhou mundialmente até o açúcar ser racionado durante a Primeira Guerra. Sua popularidade aumentou durante os anos 60 e 70 com a fabricação do Sweet’N Low e das bebidas dietéticas.

 

6 – Mola mágica

Mola Mágica!

Em 1943, o engenheiro naval Richard James estava tentando desenvolver uma mola que suportasse e estabilizasse equipamentos sensíveis em navios. Quando uma das molas acidentalmente caiu de uma prateleira, ela continuou se movendo, e James teve a ideia para um brinquedo. Sua mulher Betty deu o nome Slinky ao brinquedo, e quando a mola mágica estreou no final de 1945, James vendeu 400 delas em apenas 90 minutos. Hoje, mais de 250 milhões de molas mágicas já foram vendidas no mundo.

7 – Batatinha frita

Batatinhas fritas, vingança contra cliente chato

 


Se você não consegue comer só uma batatinha frita (chips), culpe o chef George Crum. Ele criou o salgadinho em 1853 no Moon’s Lake House, perto de Saratoga Springs, em Nova York. De saco cheio de um cliente que continuamente devolvia as batatas fritas, reclamando que elas estavam encharcadas e não crocantes o bastante, Crum cortou as batatas em fatias finíssimas, fritou-as em óleo quente, e mergulhou-as no sal. O cliente amou-as, e as “Saratoga Chips” rapidamente se tornaram um item popular na pousada Lake House e em toda Nova Inglaterra.

Com o tempo, as batatinhas foram produzidas em massa para consumo doméstico, mas como elas eram armazenadas em barris ou em latas, elas rapidamente ficavam moles. Então, nos anos 20, Laura Scudder inventou o saco plástico hermeticamente fechado ao juntar as duas partes de papel de cera com ferro quente, o que manteve as batatinhas frescas por mais tempo. Hoje, as batatas chips são empacotadas em sacos plásticos ou de papel alumínio ou em recipientes de papel cartão em uma variedade de sabores, incluindo creme azedo, cebola, salsa, camarão, churrasco, picanha, ervas, sal e vinagre.

 

8 – Fogos de artifício

 

Fogos de artifícios saíram da panela de um cozinheiro chinês

Os fogos de artifício se originaram na China cerca de 2 mil anos atrás, e reza a lenda que eles foram acidentalmente inventados por um cozinheiro que misturou carvão, enxofre e salitre – todos itens comumente encontrados na cozinha nos dias de hoje. A mistura queimou e quando comprimida em um tubo de bambú, explodiu. Não há registro se aquele foi o último dia de trabalho do cozinheiro.

9 – Play Doh

Um cheiro que a maioria das pessoas se lembra da infância é o do Play-Doh, uma massa de modelar colorida e não tóxica. A Play-Doh foi acidentalmente inventada em 1955 por Joseph e Noah McVicker enquanto tentavam fazer um produto para limpar papel de parede. Ela foi comecializada um anos depois pelo fabricante de brinquedos Rainbow Crafts. Mais de 317.514,66 toneladas de Play-Doh foram vendidas desde então, mas a receita continua um segredo.

 

10. Champagne

Surgiu em 1668, quando Dom Pérignon, abade de Hautvillers, observou que o vinho das uvas da região de Champagne desenvolvia uma fermentação secundária, produzindo pequenas bolhas e gás. Isso, até então, era considerado algo a evitar. Dom Pérignon, ao contrário, resolveu favorecer e controlar essa fermentação. Criou assim o que se chama a técnica champenoise.

Ps: A quem defenda que o champanhe não foi criado pelo monge beneditino francês dom Pierre Perignon como até então se acreditava. A tese é do professor de Biologia Molecular Tran Ky, da Universidade de Rheims (França), e defende que o champanhe foi criado pelos romanos. E isso há cerca de dois mil anos. “Na Roma Antiga criou-se um vinho pela dupla fermentação das uvas. Era champanhe puro. A Itália pode reivindicar a sua paternidade”, diz Ky. O biólogo revela também que o champanhe tem comprovadamente efeitos afrodisíacos: atua como um dilatador de vasos sanguíneos estimulando a ereção. “O consumo estimula a produção de mensagens bioquímicas que aguçam a nossa percepção sensorial. E libera as endorfinas que freiam nossas inibições.”

 

Bom, então era isso por enquanto!

 

Abraçs

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: